Logo ClickeAprenda
HIS

A Batalha das Termópilas


Publicada em: 00/00/0000

Há pouco tempo atrás foi lançado um filme que conta a fascinante história da luta de 300 bravos guerreiros espartanos contra um exército de milhares de Persas, na qual, mesmo estando em minoria, impuseram aos persas notáveis derrotas, atrasando assim seu avanço pela Grécia, que tentavam conquistar, possibilitando que fossem derrotados tempos mais tarde.

Tela ¬ďLe√īnidas nas Term√≥pilas¬Ē, de Jacque Louis David, que retrata os espartanos se preparando para a batalha contra os persas

Bem, mas o que o cinema, assim como os quadrinhos, nos conta √© a verdade? Foram realmente apenas 300 guerreiros gregos, que lutando bravamente em um estreito derrotaram milhares de soldados persas durante dias? E qual a import√Ęncia desse heroico ato dentro do contexto das Guerras M√©dicas? √Č isso o que veremos aqui.

A Batalha das Termópilas está inserida no contexto das Guerras Médicas, que foram as tentativas persas de estender seu domínio sobre a Grécia sob o comando do Imperador Xerxes, que tentava retomar os desejos do pai Dario I de estender seu império sobre o mundo grego.

Sabendo das pretens√Ķes de Xerxes as diversas p√≥leis gregas se reuniram em uma confer√™ncia no Istmo de Corinto (em 481 a.C.) para planejar uma a√ß√£o conjunta dos gregos contra os invasores persas. Nessa confer√™ncia foi ent√£o decidido que caberia a Le√īnidas, rei de Esparta, a maior pot√™ncia militar do mundo grego de ent√£o, o comando das tropas gregas.

Típico soldado grego da Antiguidade

Diversas p√≥leis enviaram guerreiros para compor as tropas gregas e Le√īnidas, ap√≥s muito estudo sobre a geografia da Gr√©cia e o avan√ßo persa, decidiu posicionar suas tropas no desfiladeiro das Term√≥pilas. A escolha de Le√īnidas foi muito cuidadosa, pois ele sabia que em uma batalha em campo aberto n√£o teria chances, pois os gregos estavam em grande desvantagem num√©rica em rela√ß√£o aos persas. Os historiadores estimam que havia entre 5.000 a 10.000 soldados gregos, enquanto as estimativas do ex√©rcito de Xerxes √© de cerca de 250.000 soldados.

Ent√£o, Le√īnidas optou por lutar em uma estreita passagem, na qual a grande vantagem num√©rica persa seria anulada, pois os soldados n√£o poderiam ser atacados pelos flancos e por tr√°s, apenas pela frente, e nesse sentindo, as tropas gregas eram muito superiores √†s persas, pois lutavam em um sistema conhecido como Falange, no qual homens fortemente protegidos por escudos e armaduras de bronze se colocavam lado a lado, com suas lan√ßas posicionadas para frente, de forma que era muito dif√≠cil penetrar essa barreira, ainda mais para os soldados persas, que n√£o usavam armaduras e portavam, em rela√ß√£o √†s armas gregas, fr√°geis lan√ßas e escudos.

Xerxes esperou quatro dias pelos ataques gregos, que não ocorreram, foi então que ordenou que suas tropas atacassem as falanges gregas posicionadas no estreito das Termópilas dando início assim, em 480 a.C., à Batalha das Termópilas. Durante três dias os gregos infringiram pesadas baixas às tropas persas, matando inclusive muitos dos Imortais, a tropa de elite do exército persa. Os autores contam que nesses combates, os gregos mataram também dois irmãos do Imperador Xerxes, o que lhe deixou furioso.

Desenho persa que representa os Imortais, tropa de elite do exército persa

A batalha só se reverteu para o lado persa quando um grego chamado Efialtes, em busca de riquezas, traiu seus compatriotas e mostrou aos persas um caminho que os levavam à retaguarda das tropas gregas, o que lhes possibilitou a vitória sobre as bem armadas falanges gregas.

√Č interessante que ap√≥s saberem que os guerreiros persas estavam se dirigindo ao estreito e que todos em pouco tempo estariam mortos, Le√īnidas liberou todos os aliados de Esparta para fugirem e salvarem suas vidas. No entanto, nenhum espartano poderia desertar e escapar da morte, pois isso seria uma grande desonra na militarizada sociedade espartana. Apesar de liberados para salvarem suas vidas, historiadores dizem que muitos dos gregos das p√≥leis aliadas optaram por ficarem nas Term√≥pilas e morrer ao lado dos espartanos, admirados pela sua honra e coragem.

Apesar da derrota grega, a Batalha das Termópilas foi essencial dentro do contexto das Guerras Médicas, pois retardou o avanço persa sobre a Grécia, o que permitiu que as forças gregas melhor se preparassem para as batalhas, além de diminuir consideravelmente o moral das tropas persas. Depois da vitória persa nas Termópilas, os gregos derrotaram os persas na Batalha naval de Salamina, e por fim, em Plateia, expulsando assim os bárbaros e possibilitando assim o desenvolvimento da  cultura grega que é a base da nossa cultura ocidental.

Os 300 espartanos podiam não estar sozinhos nessa desigual batalha contras os milhares de persas, mas mesmo assim não deixam de ser heróis, pois morreram na luta contra o domínio e a opressão estrangeira. E por isso merecem ser lembrados como acontece há milhares de anos.




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA