Logo ClickeAprenda
GEO

Gauchito Gil


Publicada em: 00/00/0000

Todo dia 8 de janeiro o Santuário de Mercedes recebe milhares de fiéis, devotos e curiosos para a grande festa em homenagem ao Gauchito Gil. Assim como Defunta Correa, Gacuhito Gil é um dos maiores santos populares da Argentina.

Imagem do Gauchito Gil

Em 12 de agosto de 1847 nascia Antonio Mamerto Gil Núñez, o Gauchito Gil. Conta a história que na época de sua juventude a Argentina sofria com uma longa Guerra Civil. Ele foi então recrutado pelo Coronel Juan da Cruz Zalazar para lutar na Guerra. Mas teria que lutar contra seus amigos e seus ideais. Para não ir contra seus princípios, decidiu fugir, desertar. Era muito comum na Argentina dessa época que os gaúchos, principalmente homens do campo, fossem recrutados para o exército. E muitas vezes tinham que lutar contra vizinhos, amigos e até parentes, tudo para defender a causa política de seus comandantes.

Gauchito Gil foi acusado de deserção e perseguido pelo Coronel Zalazar e seu regimento. Escondido nas montanhas e cercado pelos homens do Coronel, Gil sobreviveu por mais de um ano, ajudado por amigos e pessoas que admiravam sua coragem. Depois desse tempo, os homens de Zalazar conseguiram capturá-lo e levaram-no ao coronel. Este lhe perguntou porque tinha desertado. Gauchito Gil respondeu que Ñandeyara, um Deus guarani, havia lhe dito em sonho que não havia motivos para essa Guerra sangrenta, e por isso decidiu pegar suas coisas e deixar o campo de batalha.
O coronel não aceitou as explicações de Gil, e o mandou a Goya para ser julgado. Ele começou a viagem escoltado por quatro soldados. Mas a grande preocupação de seus amigos era se ele chegaria vivo a Goya, pois muitos prisioneiros eram assassinados pelos soldados antes de chegarem à cidade. Os soldados costumavam dizer que os prisioneiros haviam tentado fugir e por isso eram executados. Gil não foi uma exceção à regra, acabou sendo morto oito quilômetros depois partida.

Oferendas deixadas nas encostas das estradas para o Gauchito Gil

Antes de morrer, Gil pediu clemência aos soldados. Disse a um deles que sabia de seu filho muito doente, à beira da morte, e que poderia salvá-lo. O soldado não recuou e se manteve obediente ao Coronel. Gil então, antes de morrer, disse uma prece aos Deuses para que salvassem o filho do soldado. O menino realmente se salvou e Gauchito Gil foi considerado milagroso.

Em agradecimento pelo milagre, o soldado construiu uma imensa cruz de madeira no lugar onde Gil fora assassinado. Os peregrinos e devotos se tornaram cada ano mais numerosos. Mais tarde foi construído nesse lugar o Santuário de Mercedes. É costume dar ao santo cruzes de madeira, velas vermelhas, lenços e bandeiras vermelhas, para pedir ou agradecer por um milagre. Milhares de pessoas em toda a Argentina dizem ter sido abençoadas por Gauchito Gil, mesmo que a igreja católica não o reconheça como santo.