Logo ClickeAprenda
QUI

A import√Ęncia do di√≥xido de carbono


Publicada em: 08/03/2010

 

Di√≥xido de carbono (CO2) √© um g√°s incolor e inodoro que foi identificado pela primeira vez em 1750 pelo f√≠sico e qu√≠mico escoc√™s Joseph Black. Geralmente ouvimos falar do CO2 como uma subst√Ęncia nociva e poluente. No entanto, este g√°s √© fundamental para as nossas vidas. Veja alguns exemplos disso:

"Cobertor" planet√°rio

CO2 √© o quarto componente mais abundante no ar seco e o principal g√°s das atmosferas de Marte e V√™nus. Na Terra, uma grande parte do CO2 foi removida da atmosfera primitiva quando ca√≠ram as chuvas torrenciais que formaram os oceanos, pois o g√°s se dissolveu neles. A maior parte do g√°s carb√īnico primitivo se concentrou na forma de carbonatos em rochas calc√°rias.
O di√≥xido de carbono atmosf√©rico aprisiona parcialmente a radia√ß√£o infravermelha emitida pela superf√≠cie aquecida da Terra. Conforme a superf√≠cie se aquece, h√° emiss√£o de calor, que n√£o pode escapar para o espa√ßo porque √© absorvido pelas mol√©culas de CO2. Esta energia aprisionada aquece a atmosfera atrav√©s de um processo conhecido como efeito estufa. Este fen√īmeno √© natural, no entanto a quantidade de di√≥xido de carbono e outros gases estufa vem aumentado na atmosfera desde o final do s√©culo XIX, principalmente devido √† queima de combust√≠veis f√≥sseis. Isto tem provocado um sens√≠vel aumento na temperatura m√©dia da Terra.

 

Manutenção da vida

A energia do Sol √© utilizada pelos seres fotossintetizantes (plantas, algas e cianobact√©rias) na combina√ß√£o do CO2 que absorvem da atmosfera com √°tomos de hidrog√™nio extra√≠dos da √°gua para formar carboidratos. Os seres vivos, por sua vez, "queimam" estes carboidratos durante a respira√ß√£o celular, processo inverso ao da fotoss√≠ntese. O ciclo que envolve a fotoss√≠ntese e a respira√ß√£o mant√©m constante o balan√ßo entre as quantidades de oxig√™nio e g√°s carb√īnico na Terra.

Outro papel vital do di√≥xido de carbono √© o controle do pH do sangue, sem o qual morrer√≠amos. Este controle √© realizado atrav√©s de um sistema tamp√£o, conhecido como tamp√£o carbonato, composto por √≠ons bicarbonato, di√≥xido de carbono dissolvido e √°cido carb√īnico. O √°cido carb√īnico √© capaz de reverter o processo de alcalose (aumento do pH do sangue), neutralizando o excesso de √≠ons hidroxila (HO-). J√° os √≠ons bicarbonato (HCO3-) s√£o capazes de neutralizar √≠ons H+ que, quando presentes em excesso, diminuem o pH do sangue (acidose).

 

Um g√°s muito √ļtil

Quando o dióxido de carbono é resfriado a temperaturas inferiores a -78,5oC, obtém-se o gelo seco. Este nome faz referência ao fato de que o dióxido de carbono passa diretamente do estado sólido para gasoso, sem tornar-se um líquido (sublimação). Por causa desta propriedade, o gelo seco é amplamente utilizado pela industria na refrigeração de alimentos, medicamentos e outros materiais que sofrem danos na presença de água.
O CO2 está presente na fabricação de pães e bolos, bebidas fermentadas e efervescentes (refrigerantes), em extintores de incêndio, etc.

Na prepara√ß√£o de p√£es, o di√≥xido de carbono √© formado pela a√ß√£o de leveduras (fungos microsc√≥picos), em particular a Saccharomyces cerevisiae, sobre o a√ß√ļcar ou outras mol√©culas pequenas de carboidratos.
Bolos e outras massas podem ser preparados utilizando-se um fermento químico. Neste caso, a fonte de CO2 é uma mistura de bicarbonato de sódio, ácidos (tipicamente ácido tartárico e sulfato de sódio e alumínio) e amido. O amido serve para separar as partículas de ácido e de bicarbonato, evitando que reajam na embalagem. Este tipo de fermento funciona em dois estágios. No primeiro deles, que ocorre a temperatura ambiente, o ácido tartárico reage com o bicarbonato, produzindo cavidades na massa. No segundo estágio, que ocorre a elevadas temperaturas, o sal de alumínio reage com o bicarbonato, produzindo uma grande quantidade de CO2, que infla as cavidades e dão a textura desejada à massa.




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA