Logo ClickeAprenda
BIO

Frutos sem sementes?


Publicada em: 07/06/2010

O desenvolvimento de um fruto normalmente começa quando uma ou mais oosferas, presentes no interior do ovário da flor, são fertilizadas. Geralmente, o óvulo fertilizado produz um hormônio, a auxina, que estimula o desenvolvimento do ovário. Porém, em algumas plantas, o óvulo não precisa ser efetivamente fertilizado para produzir auxina, o que resulta na formação de frutos sem semente.

Esse fenômeno é conhecido como partenocarpia. Os frutos partenocárpicos têm um apelo comercial maior do que os frutos com sementes, pois duram mais na prateleira do mercado e são mais agradáveis para se comer, afinal, o consumidor não precisa ficar cuspindo as sementes.

As razões mais frequentes que levam à formação de frutos sem sementes são a polinização deficiente ou a formação de gametas inférteis. Um fator que facilita a formação de frutos sem sementes em muitas espécies vegetais diz respeito aos alelos de autoincompatibilidade, que garantem que os frutos com sementes só sejam formados quando dois indivíduos geneticamente diferentes são cruzados.

 

Muitos cultivares de citrus, por exemplo, apresentam autoincompatibilidade, e essa propriedade é utilizada pelos agricultores. Mas - você deve estar se perguntando - como os indivíduos vão se reproduzir sem sementes?

Nesse caso, a reprodução sexuada é desvantajosa comercialmente, pois gera progênies heterogêneas, e deseja-se ter plantas iguais, capazes de produzir frutos iguais, geração após geração. Como essas árvores podem ser propagadas assexuadamente, isso facilita a obtenção de uma plantação homogênea, inteiramente composta por indivíduos idênticos (clones). Nessa situação, as árvores não produzem frutos com sementes, mas a frequência de partenocarpia é alta - justamente o que os produtores querem.

A característica mais frequentemente utilizada na agricultura para obtenção de frutos sem sementes é o desbalanço cromossômico apresentado por indivíduos triploides. Isso ocorre, por exemplo, na banana comum. Os indivíduos triploides raramente produzem gametas viáveis, pois, na meiose, os três conjuntos cromossômicos se dividem de forma desigual (lembre-se de que, nas plantas, a meiose ocorre durante a formação dos esporos, pois há alternância de gerações). No entanto, mesmo na ausência de fertilização bem-sucedida, as bananeiras produzem frutos sem sementes.

 

O caso das melancias é bem interessante, pois essa planta não pode ser propagada assexuadamente, precisando ser plantada através de sementes. Mesmo assim, os agricultores conseguem explorar a partenocarpia. Um modo de produzir melancias sem caroço é produzindo sementes triploides. Como no caso das bananas, as melancias triploides não produzem sementes, mas, ainda assim, produzem frutos.

Essas sementes triploides são obtidas através do cruzamento de um indivíduo normal, diploide, com um indivíduo tetraploide. Por meio de manipulação genética, usando uma substância chamada colchicina, induz-se a duplicação do conjunto cromossômico. O indivíduo tetraploide, então, produzirá gametas diploides que, ao fertilizarem um indivíduo normal, cujos gametas são haploides, geram indivíduos triploides.

Atualmente, vários cientistas estudam os mecanismos genéticos que permitem a algumas plantas produzir frutos na ausência de fertilização. É possível que, em breve, através de técnicas de engenharia genética, os pesquisadores consigam variedades produtoras de frutos partenocárpicos em espécies que atualmente não possuem essa propriedade.