Logo ClickeAprenda
MAT

A música dos planetas


Publicada em: 00/00/0000

Conheça a contribuição musical do nosso Sistema Solar.

Há muito tempo, o movimento dos astros desafia a curiosidade dos homens. Dentre vários nomes famosos, o matemático, astrônomo e filósofo alemão Johannes Kepler, além de preciosas descobertas em Física, apresentou diversas contribuições para a ciência musical.

Isso mesmo: uma contribuição musical a partir de estudos sobre os planetas do nosso Sistema Solar!

Johannes Kepler

A obra mais conhecida de Kepler trata das leis sobre os movimentos dos planetas. Segundo esse estudo, a primeira lei diz que os planetas descrevem órbitas elípticas em torno do Sol. A segunda e a terceira tratam, respectivamente, de áreas e de períodos de revolução relacionados aos planetas.

A partir de 1601, Kepler trabalhou na organização de calendários e na predição de eclipses, servindo à corte do imperador Rudolfo II, em Praga. Foi lá que escreveu e publicou Harmonices Mundi, sua grande contribuição à teoria musical. Teoria musical? Isso mesmo, música dos planetas!
Relacionando suas leis a conhecimentos matemáticos e musicais, Kepler escreveu a obra composta por cinco livros. Buscando desvendar a harmonia subjacente ao movimento dos planetas, ele considerava esse movimento como uma música que traduzia a perfeição divina. Kepler tentou explicar a variação de velocidade de cada planeta por uma metáfora musical, associando movimentos rápidos e lentos a notas agudas e graves, respectivamente. Dessa maneira, considerou que a razão das velocidades determinaria um intervalo musical representando cada planeta, ou seja, cada planeta corresponderia a um tema musical.

 

Hoje em dia, musicalidades diferentes estão na moda. Por exemplo, os sons da natureza e, até mesmo, de animais, como baleias e golfinhos, são utilizados em terapias, relaxamento etc. E por que não se utiliza a música dos planetas para relaxar?
A questão é que, de acordo com a relação estabelecida por Kepler, as notas musicais associadas aos planetas teriam frequências muito baixas, de modo que nenhum sintetizador de som poderia produzi-las. O que nos resta é admirar e entender as relações estabelecidas por Kepler, grande pensador em cuja lápide está escrito:

“Eu medi os céus, agora estou medindo as sombras. A mente rumo ao céu, o corpo descansa na terra.”




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA