Logo ClickeAprenda
HIS

Afinal, o que é WikiLeaks?


Publicada em: 00/00/0000

Quem acompanha os notici√°rios, seja pela televis√£o, pelos jornais ou pela internet, com certeza ouviu falar na WikiLeaks e no seu fundador, o jornalista australiano Julian Assange. Seja pela pol√™mica em torno da divulga√ß√£o de documentos secretos ou confidenciais, seja pelas acusa√ß√Ķes de abuso sexual contra Assange, a verdade √© que, tanto a WikiLeaks, quanto seu fundador entraram para a hist√≥ria, pois suscitaram o debate acerca da √©tica nas rela√ß√Ķes diplom√°ticas e dos limites do ciberativismo. Assim, vamos conhecer um pouco mais sobre a WikiLeaks, suas propostas e seus objetivos.

Julian Assange, o fundador da WikiLeaks

A WikiLeaks √© uma organiza√ß√£o transnacional sem fins lucrativos, com sede na Su√©cia, que, por meio de seu site, busca divulgar informa√ß√Ķes e documentos de cunho confidencial sobre quest√Ķes de interesse geral. Ela foi fundada em 2006 por diversos ativistas, cr√≠ticos √† atual pol√≠tica internacional. Apesar de conter a refer√™ncia “wiki”em seu nome, a WikiLeaks n√£o pode ser considerada uma wiki, porque o conte√ļdo postado na WikiLeaks √© fechado, sendo, inclusive, criptografado, afim de dificultar o rastreamento dos diversos colaboradores da organiza√ß√£o que contribuem enviando os documentos secretos que a WikiLeaks divulga. Vale ressaltar tamb√©m que, apesar da semelhan√ßa no nome, a WikiLeaks n√£o tem rela√ß√£o com a Wikip√©dia, sendo organiza√ß√Ķes diferentes, que buscam objetivos distintos.

Desde que a WikiLeaks surgiu, em 2006, uma s√©rie de documentos importantes, e constrangedores para governos de muitos pa√≠ses, principalmente para o governo dos EUA, vieram √† tona. Dentre esses documentos, destacam-se os que divulgaram as instru√ß√Ķes de como tratar os prisioneiros da base norte-americana de Guant√°namo, em Cuba; um v√≠deo que mostra um helic√≥ptero americano alvejando rep√≥rteres estrangeiros que cobriam a Guerra do Iraque, ou, ainda, os in√ļmeros documentos acerca das opera√ß√Ķes militares dos EUA no Afeganist√£o e no Iraque, nos quais h√° relatos de torturas e de ataques a alvos civis. Isso para n√£o falar em outros in√ļmeros documentos - principalmente troca de correspond√™ncia diplom√°tica - que p√Ķem em cheque a √©tica nas rela√ß√Ķes internacionais, uma vez que informa√ß√Ķes controversas, como a que questiona a sanidade mental da presidente da Argentina Cristina Kirchner, enviada pelo departamento de Estado dos EUA √† sua embaixada, foram divulgadas.

Imagem retirada do v√≠deo que mostra jornalistas sendo mortos por um helic√≥ptero norte-americano, uma das mais impactantes revela√ß√Ķes da WikiLeaks.

A WikiLeaks e o seu fundador arrebanharam uma s√©rie de inimigos pelo mundo. Muitos alegam que a atitude do ciberativista √© irrespons√°vel, uma vez que divulga nomes que deveriam ser mantidos em sigilo, de pessoas que est√£o envolvidas em opera√ß√Ķes militares, o que p√Ķe em risco suas vidas. Al√©m disso, muitos questionam os meios pelos quais essas informa√ß√Ķes chegaram at√© os servidores da WikiLeaks, muitas desviadas de maneira ilegal por pessoas que atuavam dentro dos √≥rg√£os que produziam ou armazenavam esses documentos.

Com tantas cr√≠ticas, uma s√©rie de a√ß√Ķes foram realizadas contra Assange e seu grupo, por exemplo, a Amazon, que era a empresa que fornecia o servidor para armazenar o site, diante do quadro pol√™mico, retirou seus servi√ßos, obrigando a WikiLeaks a procurar outro lugar para hospedar seu site;outro exemplo de a√ß√£o realizada contra a WikiLeaks foi o bloqueio das transfer√™ncias de valores realizadas atrav√©s do servi√ßo americano conhecido como PayPal, uma vez que o site alegou que pro√≠be o uso de seus servi√ßos para facilitar, encorajar ou promover qualquer tipo de atividade ilegal, e a WikiLeaks estaria operando fora da legalidade, o que justificaria sua atitude. Julian Assange ainda foi acusado de abuso sexual na Su√©cia e responde por isso na justi√ßa. A WikiLeaks, nesse tempo, conseguiu uma s√©rie de opositores, mas seus defensores tamb√©m est√£o presentes, o que pode ser visto em a√ß√Ķes como os ataques de hackers que derrubaram os servidores de empresas de cart√£o de cr√©dito que se negaram a colaborar com a WikiLeaks, ou, ainda, nas doa√ß√Ķes recebidas por Assange para pagar sua fian√ßa e ser libertado da pris√£o no Reino Unido.

O site da WikiLeaks

No entanto, essa guerra apenas come√ßou; enquanto, de um lado, est√£o governos que se sentiram invadidos e, com frequ√™ncia, t√™m que se explicar perante documentos que os colocam em situa√ß√Ķes embara√ßosas, al√©m de pessoas que questionam os motivos e os objetivos de divulgar essas informa√ß√Ķes, do outro lado, est√£o pessoas que lutam pela liberdade de express√£o e por uma maior transpar√™ncia entre as rela√ß√Ķes internacionais. √Č muito cedo ainda para sabermos qual ser√° o desfecho dessa hist√≥ria, mas, a verdade √© que a WikiLeaks veio com tudo, revelando segredos, suscitando debates, trazendo pol√™micas. E voc√™, o que acha da WikiLeaks?

Se voc√™ ainda n√£o visitou o site da WikiLeaks, visite-o, aproveite enquanto ele ainda est√° no ar. Veja voc√™ mesmo como funciona esse site, que est√° balan√ßando as rela√ß√Ķes internacionais.




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA