Logo ClickeAprenda
HIS

Quem eram os gladiadores?


Publicada em: 06/06/2011

Os gladiadores são alguns dos personagens mais marcantes da história de Roma. Homens que lutavam até a morte para entreter uma plateia sedenta por sangue, que lotava as arenas espalhadas por todo o Império Romano. Mas, afinal, quem eram esses homens, por que lutavam e por que despertavam tanto interesse das multidões romanas? É sobre esses instigantes lutadores da Antiguidade que vamos conhecer um pouco mais agora.

Representação de uma luta entre gladiadores na Roma Antiga

Os gladiadores eram escravos normalmente capturados entre os prisioneiros de guerra, que eram treinados para lutar nas arenas do Império Romano. Esses escravos recebiam esse nome devido ao gládio, uma espada curta de dois gumes utilizada por esses lutadores. Esses escravos, em geral, recebiam um melhor tratamento em relação aos demais escravos de Roma, porque recebiam uma boa alimentação - vale ressaltar que sua dieta era basicamente vegetariana, afinal, eram escravos, e a carne era muito cara na época! -, cuidados com sua saúde, além de outros cuidados para garantir sua integridade física. Tudo isso porque os gladiadores eram escravos que proporcionavam muitos rendimentos aos seus senhores, empresários especializados em alugar esses lutadores para os espetáculos. Vale lembrar que, apesar de a maioria dos gladiadores serem homens, várias mulheres também entraram na arena para lutar até a morte.

Dessa maneira, os gladiadores se tornaram figuras muito populares na Roma Antiga - alguns se tornaram verdadeiros heróis entre a população. Em muitos casos, se o gladiador conseguisse várias vitórias, a ele era concedida a liberdade, deixando, assim, sua condição de escravo, o que tornava os gladiadores uma categoria relativamente privilegiada entre os escravos, uma vez que, apesar de lutarem até a morte nas arenas, a eles as possibilidades de alforria eram substancialmente maiores que à maioria dos demais escravos.

Outra representação de uma luta entre gladiadores na Roma Antiga

Os primeiros registros de lutas entre gladiadores são de 286 a.C. Foram proibidas no ano de 325 por Constantino, mas continuaram a ocorrer por mais de um século depois, de maneira clandestina. No entanto, foi no Império, dentro da política do pão e do circo, marcado pela distribuição de alimento e pela promoção de grandes espetáculos pelo governo imperial como forma de garantir o apoio da população, que as lutas envolvendo gladiadores, ou gladiadores com animais, atingiram seu apogeu. Arenas foram construídas por todo o Império, sendo o Coliseu a maior e mais famosa delas.

Dessa maneira, conhecemos um pouco melhor a vida desses escravos lutadores, que recebiam alimentação e cuidados médicos um pouco melhores que a média dos demais escravos, que podiam se tornar heróis entre a população, e, ainda, podiam ser agraciados com a liberdade (e, em alguns casos, até com uma pensão vitalícia do governo, caso o gladiador demonstrasse grande valor em combate). Mas, será que isso valia a pena frente à possibilidade de morrer a cada luta? Cada um tire suas próprias conclusões.