Logo ClickeAprenda
SOC

Classe média: o maior estrato social brasileiro


Publicada em: 17/09/2012

A nova classe média está com tudo. Dados indicam que ela já detém o maior poder de consumo dentre todas as demais classes sociais brasileiras. De acordo com a empresa de pesquisa, consultoria e marketing Data Popular, a nova classe média foi responsável por injetar mais de R$ 1 trilhão na economia nacional no ano de 2011. Não por acaso, ela se tornou o grande foco das empresas, que têm buscado se adequar às demandas desse grande filão. Especialistas consideram que, nos últimos anos, o consumo da classe média aqueceu o mercado e ajudou o Brasil a minimizar os impactos da crise mundial que abalou economias como a dos Estados Unidos, da Espanha e da Grécia. Não restam dúvidas, portanto, com relação à importância econômica da famigerada classe média. Porém, ainda falta entender exatamente o que é a classe média e, antes disso, o que é uma classe social.

 

Também chamado de “estrato social”, o conceito de classe social refere-se a um grupo de pessoas que partilham determinadas características, especialmente econômicas. Nesse sentido, pode-se dizer que certas pessoas pertencem a uma mesma classe social se, por exemplo, possuem um poder de compra similar.

 

Para se medir a distribuição da população em diferentes classes, são utilizados variados métodos de pesquisa. Um dos mais conhecidos é o Critério de Classificação Econômica Brasil, popularmente referido como “Critério Brasil”. Desenvolvido pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, esse método é utilizado, principalmente, por empresas do ramo de marketing. Para classificar a população em determinados estratos, o Critério Brasil se baseia na escolaridade dos chefes das famílias e em seu poder de consumo. Assim, pessoas com maior escolaridade e com mais bens (por exemplo, máquina de lavar, geladeira, televisão, automóvel etc.) são classificadas nos estratos sociais mais elevados - leia-se “mais ricos”. Por outro lado, baixos níveis de escolaridade e posse de poucos bens levam aos estratos sociais mais pobres.

 

Essas considerações facilitam o entendimento do que vem a ser a famigerada classe média, também chamada de “classe c”. Geralmente, considera-se que a classe média é aquela que detém um poder aquisitivo e um padrão de vida e de consumo razoáveis. Ou seja, ela é capaz não apenas de suprir suas necessidades mais básicas (como alimentação e educação, por exemplo), como também tem acesso a formas variadas de lazer e cultura (como cinema e teatro, por exemplo). Tais características situam essa classe em uma condição econômica mais favorável do que a das classes pobres, mas ainda inferior aos padrões de consumo elevados das classes ricas.

 

A classe média, portanto, é aquela que se situa no meio do espectro de classes sociais existentes em uma determinada população. O próprio nome “média” indica esse sentido, haja vista que seu correspondente latino (“medìus”) significa precisamente “aquilo que está no meio”. É por isso que a classe média costuma ser representada pela letra “C”. Diversos institutos de pesquisa classificam os estratos sociais utilizando letras. O próprio Critério Brasil, citado anteriormente, classifica as classes com letras entre “A” (para os mais ricos) e “E” (para os mais pobres). Entre esses extremos está a letra “C”, da classe média, com seus estimados 94,9 milhões de brasileiros.

A importância econômica da classe média não passou despercebida pelos diversos setores da economia brasileira, como, por exemplo, o mercado imobiliário

A nova classe média está com tudo. Dados indicam que ela já detém o maior poder de consumo dentre todas as demais classes sociais brasileiras. De acordo com a empresa de pesquisa, consultoria e marketing Data Popular, a nova classe média foi responsável por injetar mais de R$ 1 trilhão na economia nacional no ano de 2011. Não por acaso, ela se tornou o grande foco das empresas, que têm buscado se adequar às demandas desse grande filão. Especialistas consideram que, nos últimos anos, o consumo da classe média aqueceu o mercado e ajudou o Brasil a minimizar os impactos da crise mundial que abalou economias como a dos Estados Unidos, da Espanha e da Grécia. Não restam dúvidas, portanto, com relação à importância econômica da famigerada classe média. Porém, ainda falta entender exatamente o que é a classe média e, antes disso, o que é uma classe social.

 

Também chamado de “estrato social”, o conceito de classe social refere-se a um grupo de pessoas que partilham determinadas características, especialmente econômicas. Nesse sentido, pode-se dizer que certas pessoas pertencem a uma mesma classe social se, por exemplo, possuem um poder de compra similar.

 

Para se medir a distribuição da população em diferentes classes, são utilizados variados métodos de pesquisa. Um dos mais conhecidos é o Critério de Classificação Econômica Brasil, popularmente referido como “Critério Brasil”. Desenvolvido pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, esse método é utilizado, principalmente, por empresas do ramo de marketing. Para classificar a população em determinados estratos, o Critério Brasil se baseia na escolaridade dos chefes das famílias e em seu poder de consumo. Assim, pessoas com maior escolaridade e com mais bens (por exemplo, máquina de lavar, geladeira, televisão, automóvel etc.) são classificadas nos estratos sociais mais elevados - leia-se “mais ricos”. Por outro lado, baixos níveis de escolaridade e posse de poucos bens levam aos estratos sociais mais pobres.

 

Essas considerações facilitam o entendimento do que vem a ser a famigerada classe média, também chamada de “classe c”. Geralmente, considera-se que a classe média é aquela que detém um poder aquisitivo e um padrão de vida e de consumo razoáveis. Ou seja, ela é capaz não apenas de suprir suas necessidades mais básicas (como alimentação e educação, por exemplo), como também tem acesso a formas variadas de lazer e cultura (como cinema e teatro, por exemplo). Tais características situam essa classe em uma condição econômica mais favorável do que a das classes pobres, mas ainda inferior aos padrões de consumo elevados das classes ricas.

 

A classe média, portanto, é aquela que se situa no meio do espectro de classes sociais existentes em uma determinada população. O próprio nome “média” indica esse sentido, haja vista que seu correspondente latino (“medìus”) significa precisamente “aquilo que está no meio”. É por isso que a classe média costuma ser representada pela letra “C”. Diversos institutos de pesquisa classificam os estratos sociais utilizando letras. O próprio Critério Brasil, citado anteriormente, classifica as classes com letras entre “A” (para os mais ricos) e “E” (para os mais pobres). Entre esses extremos está a letra “C”, da classe média, com seus estimados 94,9 milhões de brasileiros.




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA