Logo ClickeAprenda
ESP

Os latinos nas eleições presidenciais dos EUA


Publicada em: 05/11/2012

Em menos de um mês todo o mundo estará voltado aos EUA, quando este país realizará as suas eleições presidenciais.  A cada quatro anos as eleições para o Executivo do país mais poderoso do mundo são realizadas e na que vai ocorrer no dia 06 de novembro de 2012 os dois principais candidatos são o atual presidente, Barack Obama, concorrendo à reeleição pelo Partido Democrata, e Mitt Romney, pelo Partido Republicano.  Apesar de que toda a mídia acompanha a campanha destes dois candidatos, há vários que concorrem por outros partidos e também sem partidos, o que a Constituição americana permite.

 

Os democratas são considerados mais progressistas, semelhantes aos partidos de centro-esquerda em outros países do mundo (apesar de que nos EUA a esquerda nunca foi bem aceita pelos cidadãos comuns), a favor de intervenções, por parte do governo, em todos os temas que envolvem a população. Os republicanos, mais conservadores, são contra a presença do Estado na vida das pessoas, com políticas a favor da menor intervenção possível do governo nos assuntos do Estado, como a economia, por exemplo, incentivando o livre comércio, a diminuição dos impostos (inclusive para os ricos) e a comercialização de serviços como os de saúde e de educação.


Conforme este panorama, populações de minorias étnicas, mais desfavoráveis economicamente, como os latinos que imigraram ao país, não veem com bons olhos a eleição de um presidente republicano, principalmente pelo fato de que este partido é contrário à imigração, por alinhar-se a setores mais conservadores e tradicionais da sociedade americana, de religião protestante ou judaica, que rejeitam principalmente hábitos culturais e religiosos dos imigrantes, (a maioria dos imigrantes latinos é católica) e a favor da valorização do inglês como idioma oficial (a Constituição americana não estabelece o idioma oficial do país, apesar de que alguns Estados tenham a liberdade para isso, como veem ocorrendo).

 

Grande parte da população imigrante nos EUA é ilegal e trabalha sem as condições jurídicas – o que determina que, se descobertos, são expulsos do país. Desta forma, os latinos dos tradicionalmente preferem os democratas, preferência que, neste ano, é evidente: o candidato republicano Mitt Romney, segundo pesquisas realizadas, teria uma votação entre os latinos pior do que a de outros candidatos de seu partido em eleições presidenciais recentes.


A pesquisa do Instituto Pew Research Center entre eleitores latinos registrados mostrou que 21% deles apoiam o candidato Romney, contra 69% que declaram voto no presidente Barack Obama. Tal percentual é menor do que o conseguido há quatro anos pelo candidato derrotado por Barack Obama na última eleição, o republicano John McCain, que obteve 31% dos votos, e 19 pontos a menos do que o ex-presidente George W. Bush recebeu em 2004.

 

Um dos principais motivos desta rejeição dos latinos a Romney se deve ao fato de que este candidato assumiu, nas primárias de seu partido, quando os republicanos decidiam quem os representaria, uma posição muito dura em relação à imigração, dizendo apoiar a deportação dos imigrantes ilegais.

 

Entretanto, apesar do número de latinos que vivem no país atualmente, aproximadamente 40 milhões de pessoas, poucos podem votar – somente os legais. Ademais, os eleitores não decidem diretamente a eleição do presidente – quem elege é um colégio eleitoral, composto por delegados de todos os estados americanos. O candidato mais votado do Estado leva todos os delegados e ganha aquele que tiver o maior número de delegados a seu favor. Porém, nos estados em que há uma grande população latina, a posição deste grupo será muito importante para decidir a eleição.

Protesto de latino-americanos nos EUA a favor da legalização de imigrantes

Em menos de um mês todo o mundo estará voltado aos EUA, quando este país realizará as suas eleições presidenciais.  A cada quatro anos as eleições para o Executivo do país mais poderoso do mundo são realizadas e na que vai ocorrer no dia 06 de novembro de 2012 os dois principais candidatos são o atual presidente, Barack Obama, concorrendo à reeleição pelo Partido Democrata, e Mitt Romney, pelo Partido Republicano.  Apesar de que toda a mídia acompanha a campanha destes dois candidatos, há vários que concorrem por outros partidos e também sem partidos, o que a Constituição americana permite.

 

Os democratas são considerados mais progressistas, semelhantes aos partidos de centro-esquerda em outros países do mundo (apesar de que nos EUA a esquerda nunca foi bem aceita pelos cidadãos comuns), a favor de intervenções, por parte do governo, em todos os temas que envolvem a população. Os republicanos, mais conservadores, são contra a presença do Estado na vida das pessoas, com políticas a favor da menor intervenção possível do governo nos assuntos do Estado, como a economia, por exemplo, incentivando o livre comércio, a diminuição dos impostos (inclusive para os ricos) e a comercialização de serviços como os de saúde e de educação.


Barack Obama, candidato à reeleição, pelo Partido Democrata

Conforme este panorama, populações de minorias étnicas, mais desfavoráveis economicamente, como os latinos que imigraram ao país, não veem com bons olhos a eleição de um presidente republicano, principalmente pelo fato de que este partido é contrário à imigração, por alinhar-se a setores mais conservadores e tradicionais da sociedade americana, de religião protestante ou judaica, que rejeitam principalmente hábitos culturais e religiosos dos imigrantes, (a maioria dos imigrantes latinos é católica) e a favor da valorização do inglês como idioma oficial (a Constituição americana não estabelece o idioma oficial do país, apesar de que alguns Estados tenham a liberdade para isso, como veem ocorrendo).

 

Grande parte da população imigrante nos EUA é ilegal e trabalha sem as condições jurídicas – o que determina que, se descobertos, são expulsos do país. Desta forma, os latinos dos tradicionalmente preferem os democratas, preferência que, neste ano, é evidente: o candidato republicano Mitt Romney, segundo pesquisas realizadas, teria uma votação entre os latinos pior do que a de outros candidatos de seu partido em eleições presidenciais recentes.


Mitt Romney, candidato pelo Partido Republicano

A pesquisa do Instituto Pew Research Center entre eleitores latinos registrados mostrou que 21% deles apoiam o candidato Romney, contra 69% que declaram voto no presidente Barack Obama. Tal percentual é menor do que o conseguido há quatro anos pelo candidato derrotado por Barack Obama na última eleição, o republicano John McCain, que obteve 31% dos votos, e 19 pontos a menos do que o ex-presidente George W. Bush recebeu em 2004.

 

Um dos principais motivos desta rejeição dos latinos a Romney se deve ao fato de que este candidato assumiu, nas primárias de seu partido, quando os republicanos decidiam quem os representaria, uma posição muito dura em relação à imigração, dizendo apoiar a deportação dos imigrantes ilegais.

 

Entretanto, apesar do número de latinos que vivem no país atualmente, aproximadamente 40 milhões de pessoas, poucos podem votar – somente os legais. Ademais, os eleitores não decidem diretamente a eleição do presidente – quem elege é um colégio eleitoral, composto por delegados de todos os estados americanos. O candidato mais votado do Estado leva todos os delegados e ganha aquele que tiver o maior número de delegados a seu favor. Porém, nos estados em que há uma grande população latina, a posição deste grupo será muito importante para decidir a eleição.




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA