Logo ClickeAprenda
ART

Camargo Guarnieri


Publicada em: 25/03/2013

Comumente pensamos que o Brasil produz música popular, de qualidade contestável ou incomparável. Quando falamos sobre os compositores, logo nos vêm à mente nomes como Chico Buarque, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Milton Nascimento e tantos outros que fizeram a trilha sonora da vida de muitos brasileiros em diversos momentos. Entretanto, sempre nos esquecemos de que nossas vidas também são marcadas pelos compositores que - nem tão populares - marcaram a rotina, o gosto e a expressão musical brasileira. Este é o caso de Camargo Guarnieri.

Nascido em Tietê (SP), Mozart Camargo Guarnieri, ou somente Camargo Guarnieri (como exigia que o chamassem, em respeito ao compositor austríaco Mozart), foi um dos maiores compositores da música erudita brasileira. Filho de um flautista e uma pianista, iniciou seus estudos aos 10 anos através de seus pais. Aperfeiçoando seus estudos a partir de 1926 com o maestro italiano Lamberto Baldi, lançou-se como compositor essencialmente brasileiro em 1928 com "Dança Brasileira" e "Canção Sertaneja".


Um dos melhores representantes do segundo movimento nacionalista de compositores brasileiros, Guarnieri conheceu Mário de Andrade, então chefe do Departamento de Cultura da Cidade de São Paulo, que foi o principal responsável pela formação intelectual do compositor e por grandes parcerias como a ópera "Pedro Malazarte" (1932). Essa amizade proporcionou-lhe ainda o convite para ser o primeiro regente do Coral Paulistano, um dos mais importantes da cidade.

Regeu também a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo; membro fundador da Academia Brasileira de Música, regeu a Orquestra Sinfônica Brasileira, a Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo; foi assessor artístico-musical do Ministério da Educação do governo Kubitschek e idealizador do 1º Festival de Inverno de Campos do Jordão (SP).
Autor de um grande acervo de obras representativas da cultura brasileira tocadas e reconhecidas no mundo inteiro, Camargo Guarnieri faleceu há exatos 20 anos, quando foi agraciado com um prêmio oferecido pela OEA com o título de "Maior Compositor Contemporâneo das Três Américas".


Ouça abaixo o Concerto para Cordas e Percussão de 1937.

 

 

Camargo Guarnieri, ao centro, numa foto de 1935 retratando o seu primeiro concerto (acervo da Prefeitura de São Paulo)

Comumente pensamos que o Brasil produz música popular, de qualidade contestável ou incomparável. Quando falamos sobre os compositores, logo nos vêm à mente nomes como Chico Buarque, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Milton Nascimento e tantos outros que fizeram a trilha sonora da vida de muitos brasileiros em diversos momentos. Entretanto, sempre nos esquecemos de que nossas vidas também são marcadas pelos compositores que - nem tão populares - marcaram a rotina, o gosto e a expressão musical brasileira. Este é o caso de Camargo Guarnieri.

Nascido em Tietê (SP), Mozart Camargo Guarnieri, ou somente Camargo Guarnieri (como exigia que o chamassem, em respeito ao compositor austríaco Mozart), foi um dos maiores compositores da música erudita brasileira. Filho de um flautista e uma pianista, iniciou seus estudos aos 10 anos através de seus pais. Aperfeiçoando seus estudos a partir de 1926 com o maestro italiano Lamberto Baldi, lançou-se como compositor essencialmente brasileiro em 1928 com "Dança Brasileira" e "Canção Sertaneja".


Um dos melhores representantes do segundo movimento nacionalista de compositores brasileiros, Guarnieri conheceu Mário de Andrade, então chefe do Departamento de Cultura da Cidade de São Paulo, que foi o principal responsável pela formação intelectual do compositor e por grandes parcerias como a ópera "Pedro Malazarte" (1932). Essa amizade proporcionou-lhe ainda o convite para ser o primeiro regente do Coral Paulistano, um dos mais importantes da cidade.

Regeu também a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo; membro fundador da Academia Brasileira de Música, regeu a Orquestra Sinfônica Brasileira, a Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo; foi assessor artístico-musical do Ministério da Educação do governo Kubitschek e idealizador do 1º Festival de Inverno de Campos do Jordão (SP).
Autor de um grande acervo de obras representativas da cultura brasileira tocadas e reconhecidas no mundo inteiro, Camargo Guarnieri faleceu há exatos 20 anos, quando foi agraciado com um prêmio oferecido pela OEA com o título de "Maior Compositor Contemporâneo das Três Américas".


Ouça abaixo o Concerto para Cordas e Percussão de 1937.

 

 




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA