Logo ClickeAprenda
SOC

Saiba se você realmente tem amigos


Publicada em: 24/02/2014

O conceito de amizade é estudado pela Antropologia e pela Sociologia e esses campos revelam que um dos aspectos fundamentais da amizade é a reciprocidade.


Você sabia que o conceito de amizade é explicado e estudado no campo das ciências sociais, em especial, da Sociologia e da Antropologia

 

De uma forma geral, as pessoas costumam ver a amizade como um dos vínculos mais autênticos que estabelecemos em nossas vidas. Isso acontece porque a relação de amizade é baseada única e exclusivamente na afinidade e na vontade de estar junto do amigo, além do mais, pressupõe escolha. Ou seja, não há nenhum outro interesse na escolha de uma amizade que não seja a afinidade que temos com o nosso amigo.  

 

Como será que a Sociologia analisa e interpreta esse conceito?

 

Ao abordar esse termo, alguns sociólogos afirmam  que o conceito de amizade e o que esperamos do nosso amigo varia ao longo da vida, de sociedade para sociedade e também de uma época para outra. Porém, existem dois elementos que se mantêm apesar das diferenças de espaço e tempo. Um elemento é a reciprocidade, e o outro, a confiança.

 

Vamos explicitar algumas dessas diferenças.

 

No período medieval, por exemplo, ter um amigo significava ter proteção. Nesse sentido, a ideia de amizade estava mais presente na vida dos homens do que das mulheres. As mulheres estavam mais ligadas às relações familiares e de parentesco.


No Brasil e em Londres, a forma de se conceber a amizade também são diferentes. O brasileiro vê o amigo como aquela pessoa quer apenas o seu bem. Já para o inglês o amigo é visto como aquela pessoa a quem podemos revelar nossas emoções. Isso porque a relação com emoção é entendida também de forma diferente entre brasileiros e ingleses.

 

Ao longo da nossa vida, a concepção de amizade também pode variar. O papel que um amigo tem quando somos adolescentes é diferente do papel que um amigo vai assumir em outros momentos da nossa vida. Você, por exemplo, não considera um bom amigo aquela pessoa com quem você pode passar momentos juntos, ir ao shopping, eventos e festas? Na verdade, os jovens dão mais importância aos encontros grupais enquanto que os mais velhos valorizam os encontros individuais. Porém, lembre-se: isso não é uma regra. Trata-se apenas de um panorama geral de como o conceito de amizade pode ser concebido.

 

O fato é que independentemente das diferenças na forma de se conceber esse conceito, os traços da reciprocidade e da confiança parecem ser constantes. A relação de confiança e reciprocidade são uma via de mão dupla. Isso significa que ao mesmo tempo em que confiamos no nosso amigo, esperamos que ele também confie em nós.

 

Considerando esses conceitos, você tem amigos?

O conceito de amizade é estudado pela Antropologia e pela Sociologia e esses campos revelam que um dos aspectos fundamentais da amizade é a reciprocidade.


O conceito de amizade e o que esperamos do nosso amigo varia ao longo da vida, de sociedade para sociedade e também de uma época para outra

Você sabia que o conceito de amizade é explicado e estudado no campo das ciências sociais, em especial, da Sociologia e da Antropologia

 

De uma forma geral, as pessoas costumam ver a amizade como um dos vínculos mais autênticos que estabelecemos em nossas vidas. Isso acontece porque a relação de amizade é baseada única e exclusivamente na afinidade e na vontade de estar junto do amigo, além do mais, pressupõe escolha. Ou seja, não há nenhum outro interesse na escolha de uma amizade que não seja a afinidade que temos com o nosso amigo.  

 

Como será que a Sociologia analisa e interpreta esse conceito?

 

Ao abordar esse termo, alguns sociólogos afirmam  que o conceito de amizade e o que esperamos do nosso amigo varia ao longo da vida, de sociedade para sociedade e também de uma época para outra. Porém, existem dois elementos que se mantêm apesar das diferenças de espaço e tempo. Um elemento é a reciprocidade, e o outro, a confiança.

 

Vamos explicitar algumas dessas diferenças.

 

No período medieval, por exemplo, ter um amigo significava ter proteção. Nesse sentido, a ideia de amizade estava mais presente na vida dos homens do que das mulheres. As mulheres estavam mais ligadas às relações familiares e de parentesco.


Independentemente das diferenças na forma de se conceber o conceito de amizade, os traços da reciprocidade e da confiança parecem ser constantes em todas as concepções

No Brasil e em Londres, a forma de se conceber a amizade também são diferentes. O brasileiro vê o amigo como aquela pessoa quer apenas o seu bem. Já para o inglês o amigo é visto como aquela pessoa a quem podemos revelar nossas emoções. Isso porque a relação com emoção é entendida também de forma diferente entre brasileiros e ingleses.

 

Ao longo da nossa vida, a concepção de amizade também pode variar. O papel que um amigo tem quando somos adolescentes é diferente do papel que um amigo vai assumir em outros momentos da nossa vida. Você, por exemplo, não considera um bom amigo aquela pessoa com quem você pode passar momentos juntos, ir ao shopping, eventos e festas? Na verdade, os jovens dão mais importância aos encontros grupais enquanto que os mais velhos valorizam os encontros individuais. Porém, lembre-se: isso não é uma regra. Trata-se apenas de um panorama geral de como o conceito de amizade pode ser concebido.

 

O fato é que independentemente das diferenças na forma de se conceber esse conceito, os traços da reciprocidade e da confiança parecem ser constantes. A relação de confiança e reciprocidade são uma via de mão dupla. Isso significa que ao mesmo tempo em que confiamos no nosso amigo, esperamos que ele também confie em nós.

 

Considerando esses conceitos, você tem amigos?




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA