Logo ClickeAprenda
SOC

A veia artĂ­stica da Sociologia


Publicada em: 10/03/2014

Você consegue imaginar como é possível existir uma parceria entre a Sociologia e a Arte? Conheça um pouco mais sobre a possibilidade de relação da Sociologia com a Arte como forma de compreender a sociedade e sua produção simbólica.


Os primeiros sociólogos enxergaram o mundo e as questões sociais com um olhar à frente de seu tempo. Com base nessa afirmação, podemos dizer que esses sociólogos foram artistas. Na verdade, esses primeiros sociólogos expressaram uma visão transformadora sobre o mundo e a vida social. Eles produziram obras que anunciaram uma forma diferente de pensar a vida coletiva. Até então, a vida social era entendida apenas como um “ajuntamento” de pessoas e indivíduos. Os primeiros sociólogos “artistas” foram capazes de pensar a vida social considerando a riqueza que há na relação humana.

 

Dito de outra forma, eles desvendaram os mistérios que existem nas relações interpessoais, que são carregadas de significados, conflitos, interlocuções, etc. A partir dessa visão transformadora da vida coletiva, conseguiram fugir do senso comum, dos preconceitos, de determinações ideológicas e religiosas do seu tempo. Essa transformação na forma de pensar a vida coletiva ocorreu no início do século XIX e exigiu que o pensamento sociológico fosse sistematizado. 


Neste período, a urbanização, a industrialização e o surgimento da chamada cultura de massa fizeram com que diversos desafios fossem colocados para a vida social, entre eles, a automação da produção, o conflito entre diferentes classes sociais, o crescimento do capitalismo e o desaparecimento das fronteiras culturais.

 

Você deve estar se perguntando o que isso tudo tem a ver com a relação da Sociologia com a Arte, certo?

 

Bom, neste mesmo período, o jornalismo e a literatura estavam em processo de avanço e desenvolvimento e dedicavam-se a testemunhar e a relatar os acontecimentos da vida e da realidade social. A partir desses testemunhos literários e jornalísticos é que os cientistas tomaram consciência da importância do estudo da realidade social.

 

Alguns sociólogos estudaram o surgimento do pensamento sociológico. Este é o caso do sociólogo Octavio Ianni. Tal pensador destacou, por exemplo, a importância das epopeias dos viajantes para a compreensão do homem e do mundo. São exemplos de obras literárias que contribuíram para a compreensão da vida social e, portanto, possibilitaram que a Sociologia estabelecesse uma relação com as artes: a Odisseia (de Homero), Dom Quixote de La Mancha (de Cervantes) e Cem anos de Solidão (de Gabriel García Márquez).

 

No caso do Brasil, a obra literária chamada Os Sertões (de Euclides da Cunha) contribuiu para o desenvolvimento do pensamento sociológico e do jornalismo no país, a partir do seu testemunho histórico. Dessa forma, não podemos negar os primeiros estudos sociológicos tinham uma veia artística e poética. É inegável também a importância que o imaginário e a literatura trouxeram para a criação e construção de uma mentalidade que favoreceu o pensamento sobre a vida social. 

Você consegue imaginar como é possível existir uma parceria entre a Sociologia e a Arte? Conheça um pouco mais sobre a possibilidade de relação da Sociologia com a Arte como forma de compreender a sociedade e sua produção simbólica.


Os primeiros sociólogos enxergaram o mundo e as questões sociais com um olhar à frente de seu tempo. Eles produziram obras que anunciaram uma forma diferente de se pensar a vida coletiva

Os primeiros sociólogos enxergaram o mundo e as questões sociais com um olhar à frente de seu tempo. Com base nessa afirmação, podemos dizer que esses sociólogos foram artistas. Na verdade, esses primeiros sociólogos expressaram uma visão transformadora sobre o mundo e a vida social. Eles produziram obras que anunciaram uma forma diferente de pensar a vida coletiva. Até então, a vida social era entendida apenas como um “ajuntamento” de pessoas e indivíduos. Os primeiros sociólogos “artistas” foram capazes de pensar a vida social considerando a riqueza que há na relação humana.

 

Dito de outra forma, eles desvendaram os mistérios que existem nas relações interpessoais, que são carregadas de significados, conflitos, interlocuções, etc. A partir dessa visão transformadora da vida coletiva, conseguiram fugir do senso comum, dos preconceitos, de determinações ideológicas e religiosas do seu tempo. Essa transformação na forma de pensar a vida coletiva ocorreu no início do século XIX e exigiu que o pensamento sociológico fosse sistematizado. 


A obra literária chamada Os Sertões (de Euclides da Cunha) contribuiu para o desenvolvimento do pensamento sociológico e do jornalismo no país

Neste período, a urbanização, a industrialização e o surgimento da chamada cultura de massa fizeram com que diversos desafios fossem colocados para a vida social, entre eles, a automação da produção, o conflito entre diferentes classes sociais, o crescimento do capitalismo e o desaparecimento das fronteiras culturais.

 

Você deve estar se perguntando o que isso tudo tem a ver com a relação da Sociologia com a Arte, certo?

 

Bom, neste mesmo período, o jornalismo e a literatura estavam em processo de avanço e desenvolvimento e dedicavam-se a testemunhar e a relatar os acontecimentos da vida e da realidade social. A partir desses testemunhos literários e jornalísticos é que os cientistas tomaram consciência da importância do estudo da realidade social.

 

Alguns sociólogos estudaram o surgimento do pensamento sociológico. Este é o caso do sociólogo Octavio Ianni. Tal pensador destacou, por exemplo, a importância das epopeias dos viajantes para a compreensão do homem e do mundo. São exemplos de obras literárias que contribuíram para a compreensão da vida social e, portanto, possibilitaram que a Sociologia estabelecesse uma relação com as artes: a Odisseia (de Homero), Dom Quixote de La Mancha (de Cervantes) e Cem anos de Solidão (de Gabriel García Márquez).

 

No caso do Brasil, a obra literária chamada Os Sertões (de Euclides da Cunha) contribuiu para o desenvolvimento do pensamento sociológico e do jornalismo no país, a partir do seu testemunho histórico. Dessa forma, não podemos negar os primeiros estudos sociológicos tinham uma veia artística e poética. É inegável também a importância que o imaginário e a literatura trouxeram para a criação e construção de uma mentalidade que favoreceu o pensamento sobre a vida social. 




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA