Logo ClickeAprenda
MAT

Modelo matem√°tico descreve o romance ¬ďOrgulho e Preconceito¬ď de Jane Austen


Publicada em: 26/05/2014

Pesquisadores italianos estudam o desenvolvimento do romance inglês por meio de equações


 

Jane Austen é uma autora inglesa do século XVII e XVIII. Ela fez diversas contribuições para a literatura, incluindo o livro intitulado “Orgulho e Preconceiro“, um de seus livros mais famosos.

 

Em “Orguho e Preconceito“ é narrado o romance entre Elizabeth e Darcy. Inicialmente, esses dois personagens se detestam, mas no decorrer do livro acontecem diversos eventos e são feitas revelações que mudam como Elizabeth e Darcy se sentem um em relação ao outro. Um conjunto de pequenas descobertas leva a um repentino desenvolvimento do romance entre esses dois personagens.


 

Pesquisadores do Politecnico di Milano, na Itália, propuseram uma maneira alternativa de olhar para essa história. Como? Usando a matemática!

 

Os pesquisadores quantificaram o amor sentido por Elizabeth com respeito a Darcy e de Darcy com respeito à Elizabeth ao longo da história. Então, essas quantidades foram usadas como variáveis para um modelo matemático. À medida que a história se desenvolve, essas variáveis vão mudando de valor. No início, Elizabeth e Darcy se detestavam e ao final do livro eles se encontram apaixonados uns aos outros. Mas, o desenvolvimento do amor entre eles não ocorre gradativamente. Apenas no final do livro há um crescimento rápido do sentimento de afeição entre esses personagens.

 


Os pesquisadores verificaram que um conjunto de equações diferenciais eram capazes de descrever corretamente a forma como essas variáveis mudavam ao longo do livro. Pelas características matemáticas desse sistema de equações, eles identificaram que o desenvolvimento do romance entre Elizabeth e Darcy corresponde a uma bifurcação de ponto de sela. Esse é o nome dado para sistemas em que as variáveis avaliadas crescem (ou decrescem) de modo abrupto. 

 

Esse não é o primeiro trabalho do grupo aplicando ferramentas matemáticas para descrever histórias de amor da ficção. Recentemente, eles demonstraram que no filme “A Bela e a Fera” o mesmo tipo de bifurcação acontece para o amor entre a Bela e a Fera.

 

Os resultados completos encontram-se na edição de abril de 2014 da revista Nonlinear dynamics of psychology and life sciences.

Pesquisadores italianos estudam o desenvolvimento do romance inglês por meio de equações


Orgulho e Preconceito é um livro da autora britânica Jane Austen

 

Jane Austen é uma autora inglesa do século XVII e XVIII. Ela fez diversas contribuições para a literatura, incluindo o livro intitulado “Orgulho e Preconceiro“, um de seus livros mais famosos.

 

Em “Orguho e Preconceito“ é narrado o romance entre Elizabeth e Darcy. Inicialmente, esses dois personagens se detestam, mas no decorrer do livro acontecem diversos eventos e são feitas revelações que mudam como Elizabeth e Darcy se sentem um em relação ao outro. Um conjunto de pequenas descobertas leva a um repentino desenvolvimento do romance entre esses dois personagens.


Pesquisadores encontraram uma forma de descrever a história de amor do livro Orgulho e Preconceito usando a matemática

 

Pesquisadores do Politecnico di Milano, na Itália, propuseram uma maneira alternativa de olhar para essa história. Como? Usando a matemática!

 

Os pesquisadores quantificaram o amor sentido por Elizabeth com respeito a Darcy e de Darcy com respeito à Elizabeth ao longo da história. Então, essas quantidades foram usadas como variáveis para um modelo matemático. À medida que a história se desenvolve, essas variáveis vão mudando de valor. No início, Elizabeth e Darcy se detestavam e ao final do livro eles se encontram apaixonados uns aos outros. Mas, o desenvolvimento do amor entre eles não ocorre gradativamente. Apenas no final do livro há um crescimento rápido do sentimento de afeição entre esses personagens.

 


Outros títulos já foram estudados do ponto de vista matemático, como por exemplo, a história de A Bela e a Fera

Os pesquisadores verificaram que um conjunto de equações diferenciais eram capazes de descrever corretamente a forma como essas variáveis mudavam ao longo do livro. Pelas características matemáticas desse sistema de equações, eles identificaram que o desenvolvimento do romance entre Elizabeth e Darcy corresponde a uma bifurcação de ponto de sela. Esse é o nome dado para sistemas em que as variáveis avaliadas crescem (ou decrescem) de modo abrupto. 

 

Esse não é o primeiro trabalho do grupo aplicando ferramentas matemáticas para descrever histórias de amor da ficção. Recentemente, eles demonstraram que no filme “A Bela e a Fera” o mesmo tipo de bifurcação acontece para o amor entre a Bela e a Fera.

 

Os resultados completos encontram-se na edição de abril de 2014 da revista Nonlinear dynamics of psychology and life sciences.




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA