Logo ClickeAprenda
QUI

Prêmio Nobel de Química de 2015


Publicada em: 26/10/2015

Conheça os três premiados deste ano

 

Todo ano, em outubro, é divulgado pela Fundação Nobel quais são as pessoas que foram laureadas com o Prêmio Nobel, a mais importante homenagem que um pesquisador pode receber. Na área de Química, neste ano, foram premiados três cientistas: o sueco Tomas Lindahl, o americano Paul Modrich e o turco Aziz Sancar.


Eles receberam o prêmio porque conseguiram mapear os mecanismos biomoleculares naturais usados pelas células para consertar erros que ocorrem no DNA. Dessa forma, são preservadas as informações genéticas. As pesquisas feitas por eles ajudam a entender melhor como funcionam as células. A partir do momento que se compreende melhor o funcionamento das células, pode-se desenvolver medicamentos mais específicos para um determinado tipo de doença. Inclusive, estima-se que os resultados da pesquisa podem ajudar no desenvolvimento de remédios usados para tratar o câncer, uma doença cruel que vem atacando muitas pessoas no mundo todo. 


Os três juntos ganharam 8 milhões de coroas suecas, o que equivalem a 963.000 dólares, além de uma medalha e de um certificado. Mas o mais importante é que se destacaram no mundo todo, tiveram o maior sucesso que um cientista pode ter e fizeram uma pesquisa que pode trazer o bem para a humanidade.

 

Eles chegaram à conclusão de que o DNA é uma molécula relativamente instável. Essa importante molécula está presente em todas as células de um organismo vivo. Ao longo de um único dia, podem ocorrer modificações no genoma de uma célula, por exemplo, quando as células se dividem. Nesse momento, podem ocorrer defeitos nos genes


Sabe-se que os defeitos nas moléculas de DNA podem ser causados por vários fatores, por exemplo, o DNA da pele está sujeito a apresentar defeitos por causa da radiação ultravioleta emitida pelo sol. Daí a importância de se usar protetores solares. No organismo, de acordo com os hábitos alimentares, de higiene e de vida, de um modo geral, podem ser formados radicais livres, que também podem danificar as moléculas de DNA.

 

Mas, o nosso organismo é muito inteligente, porque, se as moléculas de DNA defeituosas ou destruídas ficassem desse jeito no nosso organismo, não sobreviveríamos muito tempo. Portanto, o nosso próprio corpo produz substâncias que monitoram e reparam as moléculas de DNA o tempo todo. Tomas Lindahl, Paul Modrich e Aziz Sancar foram os cientistas que descobriram essas moléculas


Depois da descoberta da estrutura do DNA (que ocorreu em 1950), os cientistas passaram a estudar com afinco essa molécula, mas acreditavam que ela era bastante estável – até Lindahl mostrar, ainda na década de 1970, que não era bem assim. Essa molécula é muito instável, pois, se mudasse continuamente, seria impossível existir a vida. Assim, teve a ideia de que algo repararia o DNA.


Já Modrich descobriu que esses reparos podem ocorrer durante a divisão celular, ou seja, quando um DNA defeituoso é gerado, ele já é reparado. Sancar, por sua vez, descobriu o mecanismo que as células utilizam para fazer esses reparos, mas especificamente aqueles que são causados por agentes externos, como a radiação ultravioleta.

 

Assim, os estudos dos três cientistas ajudaram a compreender melhor como funcionam as células e também explicaram por que algumas pessoas podem desenvolver doenças como o câncer. Por essas importantes contribuições para a humanidade, a Academia Real Sueca de Ciências concluiu que eles mereciam o Nobel.

Conheça os três premiados deste ano

 

Todo ano, em outubro, é divulgado pela Fundação Nobel quais são as pessoas que foram laureadas com o Prêmio Nobel, a mais importante homenagem que um pesquisador pode receber. Na área de Química, neste ano, foram premiados três cientistas: o sueco Tomas Lindahl, o americano Paul Modrich e o turco Aziz Sancar.


Os cientistas que ganharam o Nobel de química neste ano

Eles receberam o prêmio porque conseguiram mapear os mecanismos biomoleculares naturais usados pelas células para consertar erros que ocorrem no DNA. Dessa forma, são preservadas as informações genéticas. As pesquisas feitas por eles ajudam a entender melhor como funcionam as células. A partir do momento que se compreende melhor o funcionamento das células, pode-se desenvolver medicamentos mais específicos para um determinado tipo de doença. Inclusive, estima-se que os resultados da pesquisa podem ajudar no desenvolvimento de remédios usados para tratar o câncer, uma doença cruel que vem atacando muitas pessoas no mundo todo. 


Os três juntos ganharam 8 milhões de coroas suecas, o que equivalem a 963.000 dólares, além de uma medalha e de um certificado. Mas o mais importante é que se destacaram no mundo todo, tiveram o maior sucesso que um cientista pode ter e fizeram uma pesquisa que pode trazer o bem para a humanidade.

 

Eles chegaram à conclusão de que o DNA é uma molécula relativamente instável. Essa importante molécula está presente em todas as células de um organismo vivo. Ao longo de um único dia, podem ocorrer modificações no genoma de uma célula, por exemplo, quando as células se dividem. Nesse momento, podem ocorrer defeitos nos genes


Sabe-se que os defeitos nas moléculas de DNA podem ser causados por vários fatores, por exemplo, o DNA da pele está sujeito a apresentar defeitos por causa da radiação ultravioleta emitida pelo sol. Daí a importância de se usar protetores solares. No organismo, de acordo com os hábitos alimentares, de higiene e de vida, de um modo geral, podem ser formados radicais livres, que também podem danificar as moléculas de DNA.

 

Mas, o nosso organismo é muito inteligente, porque, se as moléculas de DNA defeituosas ou destruídas ficassem desse jeito no nosso organismo, não sobreviveríamos muito tempo. Portanto, o nosso próprio corpo produz substâncias que monitoram e reparam as moléculas de DNA o tempo todo. Tomas Lindahl, Paul Modrich e Aziz Sancar foram os cientistas que descobriram essas moléculas


Depois da descoberta da estrutura do DNA (que ocorreu em 1950), os cientistas passaram a estudar com afinco essa molécula, mas acreditavam que ela era bastante estável – até Lindahl mostrar, ainda na década de 1970, que não era bem assim. Essa molécula é muito instável, pois, se mudasse continuamente, seria impossível existir a vida. Assim, teve a ideia de que algo repararia o DNA.


Já Modrich descobriu que esses reparos podem ocorrer durante a divisão celular, ou seja, quando um DNA defeituoso é gerado, ele já é reparado. Sancar, por sua vez, descobriu o mecanismo que as células utilizam para fazer esses reparos, mas especificamente aqueles que são causados por agentes externos, como a radiação ultravioleta.

 

Assim, os estudos dos três cientistas ajudaram a compreender melhor como funcionam as células e também explicaram por que algumas pessoas podem desenvolver doenças como o câncer. Por essas importantes contribuições para a humanidade, a Academia Real Sueca de Ciências concluiu que eles mereciam o Nobel.




Redes Sociais

Conteúdos Especiais


Powered by CLICKIDEA